Máscaras de hidratação para cabelo: entenda as diferenças para comprar certo

 Existem muitas opções de máscaras de hidratação para cabelo no mercado. Mas será que todas funcionam da mesma maneira? A resposta para esse pergunta é não. Na verdade, existem três tipos de máscaras. Cada um atua para devolver aos fios um dos três principais componentes perdidos pela ação de agentes externos. Eu me refiro a processos químicos, como coloração, descoloração e alisamentos, ação do calor do secador, chapinha e água quente, cloro, sal, vento e luz solar. Então, aprenda nesse post como reconhecer cada tipo de máscara, observando a lista de ingredientes, e como aplicar corretamente nos cabelos para obter o máximo de benefícios.











Componentes do fio de cabelo

Em primeiro lugar, antes de falar sobre os tipos de máscaras para cabelo, é importante conhecer os três principais componentes dos fios. Basicamente, o cabelo é composto de 85% de proteínas, 12% de água e 3% de lipídios (ou gorduras).

E cada fio do nosso cabelo apresenta a seguinte estrutura:

  • Medula: é a parte central do fio, responsável por sua sustentação.
  • Córtex: envolve a medula, é onde está a maior parte das proteínas, principalmente a queratina. Também é aqui que fica a melanina, o pigmento que dá cor aos nossos cabelos.
  • Cutícula: é a parte mais externa do fio, formada por células dispostas na forma de escamas sobrepostas que encapam o córtex como forma de proteção. É aqui que se encontra a maior parte dos lipídios.

Como os componentes do fio são perdidos

Nossos cabelos estão suscetíveis a diversos agentes externos, que atuam sobre os fios diariamente, resultando em perdas dos seus componentes.

Por exemplo, a ação térmica de secadores e chapinhas, assim como do ventosolsal e cloro atuam tirando a água dos fios, deixando-os desidratados e com aspecto ressecado.

Quando fazemos tinturas, descolorações, permanentes e alisamentos, os agentes químicos alcalinos presentes nesses produtos abrem as cutículas, permitindo assim o acesso ao córtex.

No córtex está a queratina, a principal proteína do cabelo, que é a responsável pela sua estrutura. Ela, por sua vez, é composta de pequenas unidades, os aminoácidos, que se agrupam formando uma cadeia. É agindo sobre as cadeias de queratina, que agentes externos como, por exemplo, a água, o calor e os produtos químicos provocam alterações temporárias ou permanentes no fio de cabelo.







Mas os processos químicos como descolorações, colorações, alisamentos e permanentes, são os únicos capazes de alterar a estrutura dos fios permanentemente. Entretanto, são também os maiores responsáveis pelas perdas de queratina, deixando os fios fracos e elásticos.

Da mesma forma, o uso de shampoos, importantes para a limpeza dos fios, abrem as cutículas e também expõem o córtex, pois retiram a camada de lipídios que recobre os cabelos. Esses lipídios, produzidos pelas glândulas sebáceas, se distribuem naturalmente pelo couro cabeludo e fios. Funcionam como uma cera que impermeabiliza as escamas, ajudando a mantê-las unidas. E quanto mais unidas as escamas, mais brilho e maciez têm os fios. A pouca quantidade de lipídios, contudo, deixa os cabelos porosos, ásperos, com frizz e embaraçando com muita facilidade.

Máscaras de hidratação para cabelo: tipos

Muita gente acha que todos os cremes de tratamento para cabelo são de hidratação, mas isso não é verdade.

As máscaras de cabelo foram criadas para devolver aos fios seus 3 principais componentes – proteínas, água e lipídios – perdidos pela ação dos diversos agentes externos que agem sobre eles.

Assim, existem, basicamente, 3 tipos principais de máscaras de cabelo:

  • Hidratação
  • Nutritivas
  • Reconstrução

Então, para fazer um tratamento completo, o ideal é ter pelo menos uma máscara de cada tipo para aplicar nos cabelos. Essa aplicação, contudo, deverá ser organizada de acordo com um cronograma capilar.

O cronograma capilar é um rotina de cuidados que intercala as máscaras dos 3 tipos. Mas a escolha da ordem de aplicação das máscaras depende de uma análise do estado do seu cabelo. 

Agora que você já viu a importância de ter os 3 tipos de máscaras de cabelo, entenda a seguir como reconhecer cada uma. Para isso você deve consultar a lista de ingredientes e demais informações que você encontra nos rótulos dos produtos.







Ingredientes das máscaras de hidratação para cabelo

As máscaras de hidratação visam fazer uma reposição hídrica, para devolver aos fios a umidade perdida. Ou seja, o objetivo principal é tratar os cabelos ressecados. Assim, as máscaras de cabelo de hidratação são aquelas que possuem os seguintes ingredientes:

  • Bepantol
  • Extratos botânicos
  • Pantenol ou pró-vitamina B5
  • Aloe Vera (babosa)
  • Silicone (chamado também de dimethicone)
  • Glicerina vegetal ou glicerina
  • Vitaminas (palmitato de retinil, acetato de tocoferol)
  • Aminoácidos
  • Proteína elastina ou colágeno
  • Proteínas hidrolisadas
    • De aveia
    • Arroz
    • Seda
    • Soja
    • Milho

As máscaras de hidratação, apesar de conterem proteínas na sua fórmula, essas estão na forma hidrolisada. Dessa forma, servem para potencializar a absorção dos nutrientes hidratantes e ajudar no condicionamento dos fios. Não possuem, contudo, grande potencial reconstrutor, como as máscaras de reconstrução, que falarei mais adiante.


silicone, comum nesse tipo de máscara, não tem a função de hidratação, mas a de formar uma película sobre os fios. Essa película então, impede a perda de umidade e controla o frizz, porém, sai com as lavagens. É o famoso “efeito Cinderela”. Cabelos oleosos ou mistos, entretanto, podem ficar pesados após a aplicação de máscaras com silicone. Além disso, o silicone pode ser o responsável pelo aparecimento de espinhas no rosto e nas costas. Então, fique atenta.


Máscaras de cabelo nutritivas

Já para cabelos que se apresentam ásperosembaraçando muito e com volume demais, é indispensável a aplicação de máscaras nutritivas. São aquelas ricas em óleos e manteigas vegetais. Esse tipo de máscara atua repondo os lipídios do cabelo, ajudando, assim, a manter as cutículas mais fechadas.

Cabelos cacheados e crespos, normalmente, precisam de mais nutrição. Isso porque a curvatura do fio dificulta a chegada dos lipídios, produzidos pelas glândulas sebáceas, até a ponta.

Assim, as máscaras de nutrição contêm:

  • Ceramidas
  • As manteigas:
    • De Karité
    • Cacau
    • Abacate
    • Tutano
    • Cupuaçu
    • Macadâmia
  • Os óleos
    • De Amêndoas
    • Coco
    • Oliva
    • Argan
    • Castanha
    • Andiroba
    • Rícino
    • Girassol
    • Abacate

Máscaras de reconstrução

Finalmente, as máscaras de reconstrução são aquelas indicadas para repor as proteínas perdidas pelo córtex.  As maiores perdas se dão quando os cabelos passam por descoloraçõescolorações, alisamentos ou permanentes. Quando há falta de proteínas, os fios se apresentam quebradiços e elásticos. Assim, as máscaras de reconstrução contêm em sua composição aminoácidos e proteínas como:

  • Colágeno
  • Elastina
  • Creatina
  • Arginina
  • Cisteína
  • Queratina

Porém, um produto com bom potencial reconstrutor, deve possuir duas ou mais dessas substâncias para funcionar melhor.







Colágeno e elastina são considerados reconstrutores leves, mas são importantes porque ajudam a restabelecer a elasticidade e fortalecer os fios.

Os agentes de reconstrução, entretanto, agem melhor em conjunto com os chamados coadjuvantes. Os coadjuvantes, que estão listados abaixo, potencializam a absorção dos nutrientes reconstrutores e condicionam os fios. Os coadjuvantes, que também podem ser encontrados nas máscaras de hidratação, são as proteínas hidrolisadas de: milho, arroz, aveia, soja e seda.

No caso das máscaras de reconstrução, entretanto, deve-se ter cuidado com o excesso. Cabelos não fragilizados só devem ser submetidos a tratamentos com ativos reconstrutores, no máximo, uma vez por mês. Caso contrário, o cabelo poderá ficar rígido e opaco. Ou seja, assim como na alimentação, proteína demais faz mal, tanto quanto proteína de menos. O importante é o equilíbrio, aliás, como em tudo na vida!


Como usar máscaras de cabelo

Além de fazer um cronograma capilar com a aplicação dos 3 tipos de máscaras, é importante saber como aplicar corretamente esses produtos nos fios. Assim, para que as máscaras tenham o melhor desempenho possível, antes da aplicação do tratamento escolhido, é importante seguir um passo a passo.

1. Limpeza

Primeiro, lave bem seus cabelos. Se necessário até mesmo com um shampoo antirresíduos, para garantir que os fios estejam 100% limpos e prontos para receber o tratamento. 

2. Retire o excesso de umidade

Segundo, retire o excesso de água dos fios com o auxílio de uma toalha. Mas não esfregue, apenas pressione a toalha contra os cabelos para ir absorvendo o excesso de umidade. O excesso de água nos fios pode diluir a máscara, prejudicando dessa forma sua ação.


3. Aplicação da máscara

Terceiro, pegue uma espátula e vá retirando da embalagem, aos poucos, a quantidade de máscara que você vai aplicar. Ou seja, nunca toque diretamente na máscara, por mais limpa que esteja a sua mão, para não contaminar o produto. Se contaminada, a máscara pode sofrer alterações ainda dentro do prazo de validade, comprometendo, inclusive, sua eficácia.

Divida o cabelo em partes de aproximadamente 2 dedos de largura e aplique a máscara sempre massageando os fios para espelhar bem o produto. Tenha o cuidado de não deixar nenhum fio se receber o tratamento.

Contudo, jamais aplique a máscara na raiz, pois isso pode deixar os cabelos com um aspecto pesado, ou mesmo oleoso, após a lavagem. Assim, sempre aplique a máscara uns 5 dedos, pelo menos, afastado da raiz.

E mais importante, deixe agir pelo tempo recomendado na embalagem. Nem mais nem menos.


4. Enxágue

A seguir, enxágue bem, até retirar completamente a máscara. Então, não deixe resíduos de máscara no cabelo, pois estes produtos não foram feitos para isso. Os produtos desenvolvidos para permanecerem nos fios são os leave-ins

5. Secagem

Por último, seque os cabelos com a toalha, porém sem esfregar.







Cuidado com as adições as máscaras

Evite as adições de produtos a máscara de tratamento que você adquiriu. Isso porque, as vezes, as químicas não combinam e você acaba estragando o creme que comprou. Deixe, então, as misturas para serem feitas pelos químicos responsáveis.

Assim, se você não encontrou um produto que atenda todas as necessidades do seu cabelo, mais um motivo para fazer um revezamento de máscaras seguindo um cronograma capilar. Dessa forma, você não corre o risco de jogar seu dinheiro fora.


Mas também é muito comum encontrar máscaras de cabelo que reúnem em um único produto mais do que uma função. Por exemplo, uma máscara pode ser de hidratação e conter óleos. Ou então, ser de nutrição e ter também proteínas ou ingredientes hidratantes.

Enfim, é isso! Espero que o post tenha respondido suas dúvidas. Porém, se ficou alguma, fique a vontade para perguntar.





Postar um comentário

0 Comentários